21.11.11

Desintoxicação do Fígado e da Vesícula Biliar

Em julho deste ano, um amigo me mandou por e-mail um esquema detalhado de como realizar uma desintoxicação do fígado e da vesícula biliar e naquele momento senti que essa poderia ser uma boa maneira de me livrar de uma boca amarga matinal. Com o passar dos anos, todos nós vamos acumulando um bocado de toxinas adquiridas principalmente de produtos transvestidos do rótulo de "alimentos" e vamos combinar, né mesmo? Na maioria das vezes é um amontado de porcarias com disfarces no cheiro, na cor e no visual. 
Pois bem, então decidi experimentar o procedimento  e confesso a minha boa surpresa com os resultados. Por isso decidi passar para frente, deixando aqui essa pequena contribuição para o restabelecimento de nossa saúde de maneira simples e barata. Vale lembrar que não podemos nos responsabilizar por possíveis efeitos desagradáveis que possam acontecer ao decidir se submeter a este processo, pois cada ser humano deverá apresentar reação única e diversa de outros.Boa sorte! 

Este método foi retirado do livro "A cura para todas as enfermidades", da Dra. Hulda Clark. Esta limpeza é séria, funciona e deve ser seguida à risca para que

o resultado seja alcançado com sucesso. Ela limpa o fígado e a vesícula e pode evitar a retirada cirúrgica da vesícula biliar, sendo recomendada para casos de “gordura” no fígado, síndrome do intestino irritado, inflamação dos intestinos, colite, intolerância a alimentos, dificuldades digestivas e outros problemas relacionados ao sistema digestivo. Alguns dos sintomas mais freqüentes são:

  • Dificuldade para digerir comidas oleosas.
  • Sono e/ou peso após as refeições com comidas que contêm gordura (carne, fritura, pequi, cozidos com óleo, abacate, etc.)
  • Calor interno.
  • Manutenção de uma alta taxa de glóbulos brancos (os leucócitos, entre eles os linfócitos e neutrófilos).
  • Mau humor e irritabilidade freqüentes.
  • Baixa do sistema imunológico.
  • Retorno freqüente de doenças.

É comum as pessoas, incluindo crianças, terem pequenas pedras nos finos dutos do fígado e também armazenadas na vesícula. Algumas delas podem ser assintomáticas ou então desenvolvem alergias ou reações na pele. Quando a vesícula é examinada pelo Raio-X ou outros aparelhos, nada é visto, pois na maioria das vezes essas pedras não estão na vesícula e também porque os equipamentos não conseguem detectar corpos que não tenham compostos sensíveis a radiação.Existe mais de meia dúzia de composição das pedras biliares, a maioria com cristais de colesterol como núcleo contendo um aglomerado de bactérias. Com as pedras se acumulando nos dutos, a pressão anterior no fígado se eleva e faz com que ele entregue menos bile e com que possa haver vazamento de bilirrubina para a corrente sanguínea. Com menos bile sendo entregue aos intestinos, menos colesterol deixa o corpo e os níveis de colesterol passam a se elevar bastante.Essas pedras são porosas e as bactérias, vírus e parasitas que passam normalmente pelo fígado podem se aderir às paredes das pedras, formando focos de infecção interna, liberando ininterruptamente microorganismos nocivos ao corpo.Nenhuma infecção estomacal, como úlceras ou inchaço intestinal pode ser totalmente curada sem remover essas pedras do fígado. Para alcançar melhores resultados e evitar um mal-estar após o processo, recomenda-se fazer antes uma limpeza de parasitas, seguido de tratamento de cáries. É muito importante beber bastante água e suco freqüentemente para eliminar todas as outras toxinas.
SEGURANÇA DA LIMPEZA - Esta limpeza é muito segura, pois a Dra. Hulda Clark acompanhou mais de 500 casos, incluindo pessoas de mais de 70 a 80 anos. Mas pode-se sentir um mal-estar por um ou dois dias após a limpeza, embora provavelmente nestes casos a limpeza de parasitas foi negligenciada. Após a limpeza de pedras da vesícula e do fígado são esperados os seguintes resultados:

  • Desaparecimento de crises hepáticas.
  • Desaparecimento de alergias, dores nos ombros, nas partes superiores dos braços e nas costas a cada limpeza.
  • Melhora da digestão.
  • Aumento da energia vital, melhorando a saúde como um todo.

PREPARAÇÃO PARA A LIMPEZA - Ingredientes

  • Sal-amargo (ou sulfato de magnésio, sal de Epsom ou MgSO4 + 7H2O) - 4 colheres de sopa ou 60 g.
  • Água mineral ou água pura – 3 copos ou 750 ml 
  • Azeite de oliva extra virgem – ½ copo ou 125 m
  • Limão fresco – qualquer limão – em quantidade suficiente para encher ½ de um copo de suco tomando o cuidado de usá-lo em temperatura ambiente
  • Canudo para ajudar a tomar o óleo.

Observação Escolha um dia como o sábado para a limpeza para descansar no dia seguinte. Evite tomar qualquer remédio, vitaminas ou pílulas sem os quais você possa ficar. É importante salientar que não se aconselha fazer a limpeza enquanto estiver com alguma enfermidade em fase aguda.
PARTE 1 – CAFÉ DA MANHÃ - A sugestão é tomar chás, exceto de mate ou preto, evitando café, chocolate, pães, bolo e biscoito. Prefira suco de vegetais, de verduras, legumes e mel. Isso fará com que a bile se acumule e aumente a pressão anterior no fígado e vesícula, o que favorece a limpeza porque mais pressão significa empurrar mais pedras para fora. Também mais bile descerá à vesícula e nela se acumulará.
PARTE 2 – ALMOÇO - Faça uma comida leve, livre de qualquer gordura – não coma leite, coalhada, ovos, carnes, azeite, manteiga, queijos, margarinas, abacate, patês, requeijão, castanhas, nozes, amêndoas, etc. – evitando alimentos ricos em gorduras, proteínas e que contenham cafeína (café, chá, guaraná). 
PARTE 3 – PAUSA DE INGESTÃO - Às 14 horas pare de comer ou beber. Se você quebrar esta regra poderá se sentir muito mal mais tarde. Prepare nessa hora o sal-amargo, misturando bem todo o sal-amargo recomendado com os 750 ml de água numa jarra. Distribua todo o conteúdo em quatro copos e coloque na geladeira.Nota: Você pode acrescentar vitamina C em pó à água ou substituir a água por suco puro de limão ou de maçã para melhorar o paladar.
PARTE 4 – PRIMEIRO COPO - Às 18 horas, beba o 1o copo da mistura de sal-amargo que está na geladeira. Você pode bochechar com alguns goles de água após beber o sal-amargo para lavar a boca.
PARTE 5 – SEGUNDO COPO - Às 20 horas, beba o 2o copo da mistura de sal-amargo que está na geladeira. Mesmo não tendo comido nada após as 14 horas, você não sentirá fome. Já é hora de começar a se preparar para dormir. Coloque tudo o que você precisa por perto, porque o tempo na realização dos próximos passos a serem executados é fundamental para o sucesso da limpeza.
PARTE 6 – PREPARANDO O COPO DE ÓLEO E LIMÃO - Às 21h45 ou um pouco antes, coloque meio copo de azeite de oliva (125 ml) e reserve. Em outro copo esprema os limões numa peneira até a metade. Misture o suco de limão com o azeite num recipiente, tipo uma garrafinha pet, tampe e chacoalhe bastante para misturar bem, ou use o liquidificador ou mixer de mão. Note que o suco de limão vermelho permite que a mistura fique bem mais homogênea. Vá ao banheiro quantas vezes sentir necessidade, mesmo que atrase um pouco a hora de tomar o óleo, que deverá ser às 22h. IMPORTANTE: Você pode ir ao banheiro a qualquer hora que tiver vontade, menos depois de beber o óleo com limão, quando vc deverá repousar.
PARTE 7 – BEBENDO O ÓLEO - Às 22 horas, tome toda a mistura de óleo e limão. Atenção: Você deve beber o óleo estando em pé, não deitado.Dicas para beber o óleo: Se tiver alguma dificuldade para beber o azeite com limão (e terá que beber até a última gota), use alguns artifícios: use um canudinho para evitar que o líquido passe pelas papilas gustativas; tome mais devagar ou alterne alguns goles com um pouco de mel.
IMPORTANTE: Não vá ao banheiro durante o repouso, que deverá durar até 1 hora e meia após beber o óleo com limão. Deite-se imediatamente após beber o óleo, pois o quanto antes você deitar mais pedras vão sair. Ao terminar de beber, vá para a cama e deite de barriga para cima, com a cabeça mais alta no travesseiro. Atenha-se ao dormir e tente ficar imóvel nessa mesma posição de costas pelo menos por 1 hora. Esvaziar a mente e dormir é o melhor a se fazer.
PARTE 8 – O DIA SEGUINTE E O TERCEIRO COPO - Ao despertar, tome o copo 3o copo de sal-amargo, por volta das 6 horas da manhã. Se você sentir alguma indigestão ou náusea ao acordar, aguarde até que passe, antes de beber. Depois de beber, pode voltar para a cama.
PARTE 9 – QUARTO E ÚLTIMO COPO - Duas horas depois de tomar o terceiro, beba o último copo do sal-amargo. Se quiser, volte para a cama.
PARTE 10 – COMER - Duas horas depois da última dose de sal-amargo, volte a comer novamente, começando com suco de frutas ou um copo de clorofila. Depois de 2 horas, retorne a alimentação normal, preferindo alimentos leves, de fácil digestão, com pouco ou nenhum tempero e gordura. Você deverá se sentir restabelecido ao fim da tarde. Alimentos leves são aconselháveis durante este dia, pois afinal de contas quase todo o percurso dos intestinos (uns 5 a 7 metros) terá se esvaziado durante a limpeza.
COMO SABER SE A LIMPEZA DEU RESULTADO? Espere por uma leve diarréia logo pela manhã do segundo dia, talvez não imediatamente após acordar. Ela é necessária para que as pedras que desceram da vesícula possam ser expelidas para fora do corpo.Procure ver as pedras esverdeadas no vaso, pois ela é prova de pedra biliar genuína - e não resíduos de comida. A coloração esverdeada pode variar de bem claro até mais escuro, que são pedras formadas há mais tempo. São esperadas de 50 a 200 pedras por evacuação.

NÃO FAÇA CONTATO COM AS FEZES PARA NÃO CORRER RISCO DE CONTAMINAÇÃO!

O melhor é visualizar e descartar o quanto antes as pedras, pois elas estão contaminadas. Geralmente, para que a pessoa se livre completamente de alergias, bursite e dores na parte superior das costas, cerca de duas mil pedras terão que ser expelidas. Mas esse número de pedras é o resultado da soma de algumas limpezas seguidas. A primeira limpeza talvez livre a pessoa de alguns sintomas por poucos dias, mas assim que as pedras da parte anterior do fígado tornarem a descer e os sintomas podem retornar. Pode-se repetir a limpeza com intervalos de pelo menos 2 semanas, mas sugerimos aguardar 20 dias a um mês e nunca faça a limpeza quando estiver doente.Este procedimento contradiz vários pontos de vista clássicos da medicina, pois acredita-se que as pedras biliares são formadas na vesícula biliar e não no fígado. Pensa-se que são algumas e não centenas. A bursite, outras dores e problemas digestivos diversos não são correlacionados a este problema, a não ser o que atinge diretamente a vesícula. É fácil compreender isso, pois quando a dor aguda aparece, as pedras já estão formadas na vesícula e são grandes suficientes para serem identificadas pelo raio X e, claro, já estão causando problemas. O colesterol é o responsável por cerca de 75% dos casos de formação de cálculos e com a retirada da vesícula as dores se vão, mas outros sintomas permanecem.

Acesso





Depois de cadastrar-se, você vai receber um email de confirmação. Verifique sua caixa de entrada.

Entrar
Register

Histórias do sertão

Site desenvolvido por Diogo Magalhães usando o Joomla!

Visite no Facebook